terça-feira, 13 de janeiro de 2009

noite quente.

a noite quente atrapalha os pensamentos e a percepção do tempo, o calor é suportável com a ajuda do ventilador. a janela toma todo o quarto, é personagem principal de uma história curta:

- o que você acha?
- do quê? são 3 da manhã, não faço idéia do que você está falando...

suspiro um pouco de irritação.
...
- de nós? acha que vamos dar certo?

penso na possibilidade de não responder, mas era tarde. eu queria aquilo demais pra atender à minha necessidade fisica de ignorá-lo.
- não, acho que pra nós acabou muito antes.
- como? você não pode fazer isso, não agora.
- você quem perguntou.
...
- mas não era pra responder isso. agora me diz um motivo.
- não estamos num mesmo momento. quando você foi embora tínhamos uma harmonia, vivemos muita coisa juntos, coisas fortes e significativas... você foi embora e eu vivi coisas sozinhas e muito mais fortes, não consigo não te culpar por isso. agora eu tenho muita harmonia comigo mesma e não vou ameaçá-la por você ou por qualquer outro motivo.
...
o silêncio não era pertubador. eu ouvia seus pensamentos preenchendo o quarto: "por quê está aqui então? na minha cama, respirando no meu peito?"

- eu não devia estar aqui.
- e agora? eu achei que tínhamos chance.
- teríamos se não tivesse me perguntado.
- o que teria mudado se eu não perguntasse, você já estava pensando nisso, não estava?
- eu estava sentindo, é diferente. quando faladas as coisas tomam forma e viram uma outra coisa, mais real.
...
- tá quente, detesto esse colchão.
- eu sei, vou trocar. também prefiro o outro.

o som do ventilador deixa o ambiente ainda mais opressor. tem pensamentos de angustia e um mal-estar preenchendo o ambiente e não há mais nada para ser dito.
durmo sem sonhos e acordo a todo o momento. em meio a noite ele desapareceu, tão logo o sol surgiu meti-me em minhas roupas e abandonei.
abandonei apartamento, passado e uma história que tinha tudo pra ser bonita.



por A.Aurea

2 comentários:

Srta. Leite disse...

... espelho retrovisor.

Neo disse...

É.. Tem coisas que não devem ser ditas, dúvidas que não devem ser esclarecidas, pelo menos não com a pessoa em questão...

Eu costumo utilizar uma terceira pessoas nesses casos, né Mad?